Buscar
  • RÁDIO TURMALINA

TURMALINA – DROGARIA RECOLHE CARTELAS VAZIAS DE MEDICAMENTOS.

O que fazer com as cartelas vazias de remédio? Para alguns, o lixo é o único destino provável. No entanto, as cartelas podem ser recolhidas e trocadas por cadeiras de rodas, muletas e até camas, que dão um novo significado à vida das pessoas que precisam dos equipamentos para se locomover ou ter mais conforto durante a recuperação de alguma doença.


Em Turmalina, a iniciativa de recolher as cartelas dos medicamentos que são vendidos, surgiu da Drogaria Avantefarma, como revela a farmacêutica Aline Gomes Oliveira. “Vamos colocar uma gôndola na entrada da drogaria, que será onde os nossos clientes poderão depositar as embalagens dos medicamentos, após o uso”, comenta.



O proprietário da Drogaria Avantefarma, o vereador Eder José Godinho (Edinho) espera agora complementar um trabalho iniciado no ano passado. “A drogaria já adquiriu 12 cadeiras de rodas, que já foram entregues, atendendo uma demanda crescente de pessoas que necessitam do aparelho”, explica. No vídeo abaixo, o momento em que o vereador esteve no Bairro Manga da Roda entregando uma das cadeiras em Setembro de 2019.



Segundo Gilmar Ramos, presidente da ARBEC, o equivalente a 700 kg de cartelas de medicamentos são suficientes para comprar uma cadeira de rodas. Gilmar que é motorista de ambulância em Maringá ganhou uma cadeira de rodas de uma paciente que transportava e que não precisava mais do equipamento. Após reformar a cadeira, ele emprestou novamente para outra pessoa que tinha o equipamento, mas que não estava em boas condições. Foi ai que surgiu a ideia de montar uma associação e recolher cartelas de medicamentos para trocar por cadeiras de rodas.


Uma das principais características do alumínio é a capacidade de proteção. No caso dos medicamentos, o metal preserva as propriedades do material embalado, impedindo a contaminação e aumentando sua vida útil. O fato de impedir a passagem de luz e de ser maleável o torna bastante utilizado pela indústria farmacêutica.



196 visualizações0 comentário